Governo do Japão vai discutir suspensão de estado de emergência

O primeiro-ministro do Japão, Suga Yoshihide, e ministros do governo responsáveis por lidar com o coronavírus devem considerar a suspensão do estado de emergência em cinco províncias do país: Osaka, Hyogo, Kyoto, Aichi e Gifu.

Tóquio e nove outras províncias encontram-se sob um estado de emergência em vigor até o dia 7 de março.

Na terça-feira, os governadores de Osaka, Hyogo e Kyoto pediram ao governo central que o estado de emergência seja suspenso antes do previsto em suas províncias. Os números de novos contágios e de pessoas hospitalizadas caíram nas três províncias do oeste do Japão.

O governador de Aichi deu início a discussões com autoridades da província vizinha de Gifu, para tentar suspender o estado de emergência até o fim de fevereiro.

Suga deverá encontrar-se com o ministro da Revitalização Econômica, Nishimura Yasutoshi, responsável por lidar com o coronavírus, e o ministro da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social, Tamura Norihisa, na quarta-feira para discutir se o estado de emergência poderá ou não ser suspenso nas cinco províncias.

O número de novos casos em Tóquio caiu para menos de 200 na segunda-feira, pela primeira vez em três meses. Contudo, o governo japonês tem sido cauteloso a respeito da suspensão do estado de emergência na capital antes do dia 7 de março, alegando o sobrecarregamento do sistema médico-hospitalar.