Onze funcionários públicos teriam quebrado código de ética do governo do Japão

O Ministério do Interior e Telecomunicações do Japão informou que 11 funcionários violaram o código de ética de funcionários públicos do governo central ao terem participado de jantares bancados pelo filho do premiê Suga Yoshide. Suga Seigo trabalha para uma empresa de radiodifusão por satélite.

O ministério concluiu uma investigação sobre o caso e divulgou um relatório na segunda-feira. Quando o caso subiu à tona pela primeira vez, o ministério havia informado que quatro autoridades de alto escalão – as quais incluíam dois vice-ministros para coordenação de políticas – haviam participado de refeições bancadas pelo filho do premiê. De acordo com o mais recente relatório, outras sete pessoas também participaram dos jantares.

A pasta informou que as autoridades haviam jantado com o filho de Suga em 37 ocasiões entre 2016 e 2020. O custo total dos jantares chega a mais de 5 mil dólares.

O relatório cita as autoridades como tendo afirmado que não pensaram que a empresa tinha qualquer interesse nas operações do ministério.

O documento deve ser submetido na quarta-feira ao conselho de ética do órgão de gestão de funcionários do governo nacional. Caso seja aprovado pelo conselho, o ministério planeja repreender os 11 funcionários no mesmo dia.