Parlamento debate caso envolvendo filho do premiê japonês

Um funcionário de alto escalão do Ministério do Interior e Telecomunicações do Japão admitiu ter discutido sobre negócios de transmissão via satélite durante um jantar pago por uma empresa relacionada ao setor. Um filho do premiê Suga Yoshihide trabalha para a firma e participou do encontro.

Akimoto Yoshinori, chefe do departamento de informação e comunicações do ministério, falou no comitê orçamentário da Câmara Baixa na sexta-feira.

Recentemente, uma revista divulgou que o filho de Suga tinha recebido, repetidas vezes, Akimoto e outras autoridades em encontros similares no ano passado, em uma possível violação da lei. Publicou uma transcrição parcial de áudio, que teria sido gravado em um dos encontros em dezembro.

O ministério supervisiona o setor de rádio e TV, e autoridades do governo estão proibidas de receber presentes ou ser entretidas por partes interessadas.

Legisladores de partidos oposicionistas afirmam que o encontro envolveu, definitivamente, um supervisor do setor e uma firma sob sua supervisão. Eles acrescentaram que não é possível que Akimoto não tenha tido conhecimento sobre a natureza de tal evento.