Contribuição financeira do Japão sobre bases americanas no país permanecerá a mesma em 2021

O Japão e os Estados Unidos chegaram a um acordo para que os custos que recaem sobre o Japão acerca do posicionamento de forças americanas no país sejam mantidos no mesmo montante que o atual, também para o próximo ano fiscal.

O montante pago pelo Japão é concordado a cada cinco anos. O país cobre custos de pessoal, tais como salários dos funcionários das bases americanas e parte das contas de água, gás e eletricidade, bem como outros gastos.

As conversações mais recentes sobre o assunto começaram em novembro, durante o governo do ex-presidente Donald Trump, que queria impor ao Japão uma parcela maior dos gastos. Mas os dois lados não chegaram a um acordo. O compromisso atual está marcado para expirar no final deste ano fiscal que termina em março.

As duas partes concordaram em manter a parcela do Japão em cerca de 1,9 bilhão de dólares para o exercício de 2021. Também foi acertado que vão continuar a debater a contribuição financeira japonesa para os próximos anos. O objetivo é que as negociações sejam encerradas este ano.

O governo japonês pretende assinar um documento para estender o atual compromisso por mais um ano e quer obter aprovação do Parlamento já no próximo mês.