“Estudo de desafio em humanos” com o coronavírus é aprovado por entidade ética no Reino Unido

Uma entidade britânica que avalia ética em experimentos clínicos aprovou uma iniciativa que involve a participação de voluntários saudáveis que serão infectados com o novo coronavírus para testar vacinas e tratamentos contra a doença.

Na quarta-feira, o governo do Reino Unido divulgou que a Autoridade de Pesquisa em Saúde aprovou “estudos de desafios em humanos”, que serão realizados pelo Colégio Imperial de Londres e outras instituições.

O estudo inicial irá recrutar até 90 voluntários saudáveis, com idades entre 18 e 30 anos, que serão expostos ao vírus propositalmente em um ambiente seguro. O objetivo é verificar qual é a menor quantidade do vírus necessária para causar uma infecção e avaliar como o sistema imunológico reage ao coronavírus. Os estudos serão realizados com monitoração constante e com a presença de equipe médica.

Os médicos vão usar a cepa original do coronavírus, já que existe muito menos informações disponíveis sobre as novas variantes do vírus.

Assim que o estudo inicial for realizado, vacinas que estão em desenvolvimento poderão ser administradas a um pequeno número de voluntários, que serão depois expostos ao coronavírus — o que ajudará a identificar as vacinas mais eficazes.

O governo britânico anunciou que vai disponibilizar cerca de 46,5 milhões de dólares para o estudo. Candidatos a se voluntariar poderão se registrar para participar dos experimentos. O estudo será iniciado dentro de um mês.