ONU condena execuções de jornalistas e trabalhadores humanitários no Afeganistão

Um recente relatório da ONU critica os assassinatos nos últimos anos de profissionais trabalhando com imprensa e direitos humanos no Afeganistão, exortando o governo afegão a estabelecer um mecanismo de proteção para essas pessoas.

O relatório foi divulgado pela Missão de Assistência das Nações Unidas no Afeganistão na segunda-feira. Nele, afirma-se que um total de 65 defensores dos direitos humanos e jornalistas foram mortos no Afeganistão de janeiro de 2018 até o mês passado. Muitos foram executados a tiros ou mortos com dispositivos explosivos improvisados.

Entre as vítimas está o médico japonês Nakamura Tetsu, que foi assassinado a tiros por um grupo armado enquanto viajava de carro em Jalalabad em dezembro de 2019.