Aung San Suu Kyi deverá ser submetida a audiência na corte em breve

A audiência na corte de Aung San Suu Kyi, líder de fato de Mianmar que foi destituída e detida em um golpe militar ocorrido no dia 1º de fevereiro, deverá acontecer em breve através de conexão por vídeo.

De acordo com documentos da polícia submetidos a um juiz, ela é acusada de importar ilegalmente rádios portáteis e usá-los sem permissão. Sua detenção deveria expirar na segunda-feira, mas seu advogado, Khin Maung Zaw, foi informado por um juiz que ela continuará detida até quarta-feira.

O advogado também soube que sua audiência deverá acontecer dentro de alguns dias através de videoconferência. Khin Maung Zaw enfatizou que, caso Aung San Suu Kyi esclareça sua intenção de contratar um advogado, esse advogado será permitido encontrar-se com ela.

Aung San Suu Kyi não tem aparecido em público desde sua detenção, e o advogado disse que deseja conversar com ela.

Os protestos continuaram em toda a nação na segunda-feira. Multidões na parte de fora da embaixada da China, em Yangon, pediram pela libertação de Aung San Suu Kyi. Alguns observadores citam que a China tem relações próximas com as forças armadas de Mianmar.

Os militares estão aumentando as medidas de repressão contra os cidadãos. As autoridades obtiveram mandados de prisão de um ex-líder de um movimento democrático e outros por incitar manifestações.