Putin insinua que nova Constituição impede negociações com o Japão sobre posse de ilhas

O presidente russo Vladimir Putin deu a entender que, de acordo com a nova Constituição russa, seu país irá se recusar a participar de negociações sobre a transferência de posse para o Japão de quatro ilhas disputadas entre os dois países.

A Rússia controla as quatro ilhas. O Japão as reivindica. O governo japonês afirma que as ilhas foram ocupadas ilegalmente depois da Segunda Guerra Mundial.

No domingo, a rede de TV estatal da Rússia televisionou uma reunião entre Putin e dirigentes de órgãos da imprensa realizada na quarta-feira.

O presidente discutiu as conversações para um tratado de paz com o Japão, durante as quais a questão das ilhas tem se mostrado o principal ponto de atrito entre as partes.

Putin disse que a Rússia quer desenvolver laços com o Japão e que irá fazê-lo. Adicionou, no entanto, que a Rússia não irá tomar nenhuma atitude que vá contra sua lei básica.

Emendas à Constituição russa feitas em julho do ano passado incluem uma proibição sobre a cessão de qualquer parte de seu território.

Quando questionado sobre demarcações de fronteira, no entanto, Putin se absteve de fazer comentários específicos, delegando a resposta à questão ao Ministro das Relações Exteriores Sergey Lavrov.

Já que a Constituição da Rússia não proíbe demarcação de fronteiras, especialistas afirmam que isto deixa margem para a Rússia continuar a negociação de um tratado de paz com o Japão.