Detenção de Aung San Suu Kyi está para se encerrar nesta segunda

O período de detenção da conselheira de Estado de Mianmar Aung San Suu Kyi, determinado pela Justiça, está para terminar nesta segunda-feira, mas as Forças Armadas poderão agir para prolongar a sua vigência.

Ela, o presidente, Win Myint, e políticos do seu partido estão detidos desde o golpe militar do dia 1º.

Documentos apresentados pela polícia ao tribunal acusam Aung San Suu Kyi de importar ilegalmente equipamento de comunicação e de usá-lo sem autorização.

Sobre Win Myint, pesa a acusação de violar protocolos do coronavírus na campanha eleitoral em setembro. O período previsto de detenção dele se encerra igualmente nesta segunda-feira.

As Forças Armadas afirmam que não suspenderam a Constituição e que têm agido sob o primado da lei.

Contudo, os militares suspenderam a vigência de disposições legais, de modo a permitir que autoridades prendam cidadãos sem mandado judicial.

Tem havido grandes manifestações em protesto pela tomada do poder pelos militares e pela detenção de autoridades.