Painel governamental alerta para possibilidade de mais terremotos fortes no Japão

Um comitê do governo japonês declarou que se deve ter cautela com relação à possibilidade de que mais terremotos fortes atinjam o país nos sete dias que se seguem ao potente terremoto que sacudiu grande parte do Japão, mas principalmente o Nordeste, na noite de sábado.

O Comitê de Pesquisa de Terremotos realizou uma reunião extraordinária no domingo, um dia após a ocorrência de um terremoto de magnitude 7,3 ao largo da costa da província de Fukushima. Um tsunami de 20 centímetros de altura foi registrado no porto de Ishinomaki, na província de Miyagi.

De acordo com o comitê, mais terremotos de alta magnitude podem ocorrer – trazendo com eles o risco de tsunami – em áreas onde tremores secundários ocorreram após o grande terremoto de 2011. O comitê informou que a possibilidade de que tais terremotos ocorram permanecerá alta por um longo tempo.

Hirata Naoshi, que lidera o comitê, disse que um tsunami maior poderia ter sido gerado caso o terremoto de sábado tivesse se originado em um ponto mais raso e com uma magnitude mais alta.

Ele pediu aos residentes de áreas costeiras que se assegurem de que estejam adequadamente preparados para a ocorrência de fortes terremotos e tsunami.

O terremoto do final de semana sacudiu violentamente as províncias de Fukushima e Miyagi, com alguns municípios registrando uma intensidade sísmica entre 6 e 6,5 na escala japonesa, que vai de zero a sete. Tremores secundários vêm ocorrendo desde então. Mais de 150 pessoas já foram reportadas como tendo sofrido ferimentos.