Chefe do comitê organizador da Olimpíada de Tóquio coloca o cargo à disposição

Mori Yoshiro pediu demissão do cargo de chefe do comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio.

Mori fez o anúncio durante uma sessão conjunta realizada às pressas na sexta-feira com membros do comitê executivo e do conselho. O anúncio ocorre mais de uma semana depois que Mori, de 83 anos, proferiu comentários sexistas sobre mulheres, o que repercutiu negativamente em todo o mundo.

Mori disse, “Meus comentários inapropriados provocaram muita confusão. Eu estou extremamente arrependido por ter causado tantos problemas aos executivos, aos membros do conselho e muitos outros. Assim, eu estou pedindo demissão do posto de presidente do comitê organizador de Tóquio”.

A polêmica começou quando Mori disse que reuniões com a participação de mulheres demoravam muito pois elas falavam demais. Posteriormente ele pediu desculpas, mas continuou a receber críticas tanto do Japão quanto do exterior. Centenas de voluntários dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos cancelaram suas participações como forma de protesto.

Uma outra autoridade, Kawabuchi Saburo, disse que Mori havia lhe pedido para que assumisse o cargo de presidente. Contudo, Kawabuchi, de 84 anos, decidiu por recusar o posto. Alguns membros do conselho da organização e do Comitê Olímpico Internacional, COI, declararam que precisa haver transparência no processo de escolha do sucessor de Mori.

O presidente do COI, Thomas Bach, afirmou em um comunicado que sua organização respeita a decisão de Mori pela renúncia e entende as razões que levaram ao pedido. Bach acrescentou que o COI vai continuar trabalhando em conjunto com o sucessor de Mori.