Governo japonês vai manter estado de emergência em vigor

Nishimura Yasutoshi, ministro da Revitalização Econômica do Japão, deu a indicar que o governo vai manter, por enquanto, o estado de emergência para combater o coronavírus, citando dificuldades nos sistemas médicos.

Falando em uma reunião de um painel de especialistas nesta sexta-feira, Nishimura disse que é necessário manter o estado de emergência, que foi imposto, desde o início do mês de janeiro, para Tóquio, Osaka e oito outras províncias mais afetadas. Os membros do painel se reuniram para discutir as revisões planejadas nas diretrizes básicas do governo contra o coronavírus em linha com a legislação revisada de medidas especiais contra o vírus.

Nishimura, encarregado das medidas para lidar com a Covid-19, disse que, embora os números de novas infecções estejam tendendo a cair, os sistemas hospitalares e de cuidados médicos continuam sob pressão.

Ele advertiu que focos de infecções estão ocorrendo principalmente em instalações de cuidados para idosos e que os números de infecções não estão diminuindo entre as pessoas de idade avançada.

Nishimura prometeu continuar a monitorar de perto a situação e compartilhar com as autoridades provinciais dados como condições das infecções, disponibilidade de leitos hospitares e locomoção de pessoas. Ele também disse que o governo dá prioridade máxima para conter a disseminação do vírus e colocar a epidemia sob controle o mais rápido possível.

Após a reunião, o chefe do painel, Omi Shigeru, disse que a suspensão do estado de emergência poderá ser considerada de uma forma abrangente de acordo com a situação da infecção.

Acrescentou que as discussões se concentraram no surgimento de novas cepas do vírus. Omi enfatizou a necessidade de tomar uma medida enérgica em investigações epidemiológicas. Ele disse que os estudos cobrirão mesmo aquelas pessoas que não apresentam nenhum sintoma em áreas de alto risco, e deverão se focar em descobrir rapidamente epicentros para deter a propagação.