Presidente do comitê organizador dos Jogos de Tóquio decide renunciar

O presidente do comitê organizador da Olimpíada e Paraolimpíada de Tóquio, Mori Yoshiro, decidiu renunciar à função em razão das amplas críticas que recebeu por uma declaração a respeito de mulheres.

Mori, de 83 anos, que já foi primeiro-ministro do Japão, declarou no dia 3 que reuniões do comitê das quais participem mulheres se prolongam por um tempo excessivo. Posteriormente ele viria a se desculpar e se retratar pela afirmação. Contudo, as palavras atraíram uma incontrolável onda de críticas e resultaram no desligamento de centenas de voluntários que estavam inscritos para atuar como colaboradores nos Jogos de Tóquio.

Nesta quinta-feira, Mori Yoshiro comunicou a partes interessadas a decisão de deixar a presidência do comitê. Teria dito que o objetivo é assumir responsabilidade pela declaração.

Eleito em 1969 para a Câmara Baixa do Parlamento japonês pelo Partido Liberal Democrático (PLD), Mori seria reeleito deputado 14 vezes consecutivas. Depois de ocupar importantes cargos no governo japonês e no PLD, foi premiê por cerca de um ano, a partir de abril do ano 2000.

Tendo se afastado da política em 2012, assumiria dois anos depois a função de presidente do comitê organizador da Olimpíada e Paraolimpíada de Tóquio. Ele esteve à frente de esforços em preparação para os Jogos.