Aumenta número de desistentes entre voluntários olímpicos após declarações polêmicas de Mori Yoshiro

As consequências das declarações polêmicas feitas por Mori Yoshiro, o presidente do comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, continuam a se alastrar.

Pelo menos três corredores decidiram desistir de participar do revezamento da tocha olímpica, incluindo um homem de 57 anos da província de Fukushima, onde o evento terá início no dia 25 de março. O corredor iria percorrer uma área onde moradores foram forçados a evacuar após o acidente nuclear de 2011. Ele esperava ajudar a animar sua comunidade, mas disse que considera inaceitável que o comitê organizador dos Jogos e o governo estejam aparentemente defendendo Mori.

Além disso, um total de 126 voluntários recrutados por sete governos provinciais para atuar como guias turísticos e de transporte desistiram de suas funções. O comitê dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos declarou que 390 voluntários que seriam posicionados na vila dos atletas e nos locais dos eventos também haviam desistido até a segunda-feira.

Isso faz com que, na semana seguinte às declarações polêmicas de Mori Yoshiro, mais de 500 pessoas decidissem não mais atuar como voluntários.