Legisladores japoneses querem que governo tome ação contra líderes de golpe em Mianmar

Um grupo pluripartidário de legisladores japoneses pediu ao governo que tome uma ação contra os líderes do golpe militar em Mianmar.

Entre os legisladores estão membros do situacionista Partido Liberal Democrático (PLD) e do oposicionista Partido Democrático Constitucional. O grupo preparou um pedido por escrito, na quarta-feira, e planeja entregá-lo ao governo em breve.

O documento denuncia o golpe como absolutamente inaceitável, chamando-o de um ato ultrajante que mina os esforços empreendidos em prol da democracia até agora e que vai contra as esperanças e expectativas do povo de Mianmar.

Os membros do Parlamento afirmaram que o governo japonês deveria exortar as Forças Armadas de Mianmar para que libertem a líder de fato do país, Aun Sang Suu Kyi, e outros imediatamente e transfiram todos os poderes ao regime democrático.

Segundo os legisladores, caso os militares se recusem a fazê-lo, o Japão deve trabalhar com os Estados Unidos e nações da União Europeia com o objetivo de implementar medidas sancionatórias efetivas. Tais medidas incluem suspender a ajuda econômica a Mianmar, exceto para fins humanitários.