Japão e EUA criticam uso de arma de fogo contra manifestantes em Mianmar

Os titulares das chancelarias do Japão e dos Estados Unidos condenaram o recente disparo contra manifestantes em Mianmar.

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Japão, Motegi Toshimitsu, conversou com o secretário de Estado americano, Antony Blinken, por telefone na quarta-feira. A crítica de ambos foi feita em resposta a disparos de arma de fogo por forças de segurança contra manifestantes que se opõem ao golpe na capital birmanesa Naypyitaw.

Motegi e Blinken decidiram pedir às autoridades de Mianmar que interrompam de imediato atos violentos contra civis. Também se dispuseram a instar o Exército do país a libertar as autoridades que foram detidas, incluindo a conselheira de Estado Aung San Suu Kyi, e a pedir que o sistema político democrático seja reinstituído o mais breve possível.

Ambos confirmaram que o Japão e os Estados Unidos vão continuar a trabalhar juntos e de maneira próxima a respeito da situação em Mianmar.