Coalizão governista e oposição divergem sobre declaração polêmica de Mori Yoshiro

Os partidos governistas e oposicionistas do Japão permanecem em desacordo acerca das recentes declarações do presidente do comitê organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio. As afirmações foram criticadas como sexistas.

Em encontro do Comitê Olímpico Japonês, na semana passada, Mori Yoshiro afirmou que reuniões do corpo executivo com a presença feminina tendem a se alongar porque “as mulheres falam demais”. Pouco depois, ele se desculpou e retirou as declarações.

No entanto, a afirmação gerou forte repercussão. Cerca de 390 pessoas retiraram suas candidaturas para se voluntariar durante os Jogos.

No Parlamento, membros da oposição pedem a renúncia de Mori. Afirmam que a permanência de uma pessoa que fez tais comentários como líder do comitê organizador é prejudicial aos interesses nacionais.

Apesar de muitos membros da coalizão governista terem considerado as declarações inapropriadas e decepcionantes, a liderança da principal sigla da coalizão, o Partido Liberal Democrático (PLD), sustenta a opinião que não há necessidade de que Mori Yoshiro renuncie.

Os líderes do PLD afirmam que Mori já se retratou e apontam a necessidade de acelerar os trabalhos de coordenação com as entidades relevantes e com outros países, já que a abertura dos Jogos está programada para ocorrer em menos de seis meses. Membros da sigla vão observar a decisão do comitê organizador.