Japão planeja utilizar queima de amônia para geração de energia limpa

O governo do Japão delineou planos em parceria com o setor privado para utilizar amônia como combustível em usinas termoelétricas.

A queima de amônia não emite dióxido de carbono. Como parte de seus esforços para reduzir as emissões de CO2, o governo está considerando usar o químico, conjuntamente com o hidrogênio, na próxima geração de combustíveis.

Na segunda-feira, o Ministério da Economia, Comércio e Indústria, companhias elétricas e fabricantes de maquinários compilaram planos para atingir a meta. O objetivo é utilizar uma taxa anual de 3 milhões de toneladas de amônia em 2030 através do desenvolvimento de tecnologia para a queima do combustível junto com carvão.

Também planejam aumentar o uso de amônia para 30 milhões de toneladas por ano até 2050. Para tal, será necessário contar com usinas que façam queima apenas da amônia em seu processo de geração de energia.