Província de Shimane adota medidas para auxiliar estrangeiros a receber tratamento médico

A província de Shimane, no oeste do Japão, passou a tomar medidas para lidar com as barreiras de idiomas e outros obstáculos que residentes estrangeiros podem vir a enfrentar quando recebem tratamento médico, em meio à disseminação do coronavírus.

Cerca de 30 autoridades do governo provincial e representantes de instituições médicas se reuniram na cidade de Matsue na sexta-feira. Eles foram informados sobre casos de médicos que se recusaram a atender estrangeiros que não falam japonês e sobre a situação de estrangeiros que não conhecem bem o sistema de saúde do Japão.

Autoridades provinciais explicaram que instituições médicas que atuam como ponto focal no recebimento de cidadãos não japoneses poderão receber subsídio integral para o custo de tablets equipados com aplicativos de tradução, ou por colocarem avisos e cartazes em diversos idiomas.

O líder do grupo do setor de políticas públicas sanitárias da província, Teramoto Naofumi, afirma que o número de visitantes estrangeiros caiu devido à pandemia, mas que a quantidade de residentes não japoneses tem aumentado a cada ano em Shimane.

Teramoto espera poder compartilhar as medidas com as instituições relevantes e trabalhar em conjunto com elas para lidar com a questão.

Autoridades provinciais afirmam que, até dezembro, Shimane contava com 8.917 moradores estrangeiros, o que marca um crescimento de 1,6 vezes em comparação com 20 anos atrás.