Pesquisa mostra que menos de 1% dos moradores de províncias japonesas possuem anticorpos contra coronavírus

Uma pesquisa feita pelo Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão mostra que, em dezembro do ano passado, menos de um por cento dos residentes em Tóquio e 4 outras províncias tinham anticorpos contra o coronavírus.

Anticorpos, que são uma espécie de proteína sanguínea, são produzidos após as pessoas serem infectadas pelo vírus. A presença de anticorpos no sangue indica que houve contágio no passado.

O ministério coletou, entre 14 e 25 de dezembro, amostras de sangue de aproximadamente 15 mil residentes das províncias de Osaka, Miyagi, Aichi, Fukuoka e Tóquio, com 20 anos ou mais de idade. Os resultados dos testes foram divulgados na sexta-feira.

Os dados mostram que a presença de anticorpos foi confirmada em 0,91 por cento das pessoas testadas em Tóquio, 0,58 por cento em Osaka, 0,54 por cento em Aichi, 0,19 por cento em Fukuoka e 0,14 por cento em Miyagi.

Autoridades do ministério afirmam que isso significa que a maioria da população japonesa ainda tem de adquirir anticorpos, e estão pedindo às pessoas que continuem tomando medidas de precaução contra o contágio.