Manifestantes protestam contra golpe militar em diversas cidades de Mianmar

Cresce a onda de protestos em Mianmar contra o golpe de segunda-feira, apesar dos esforços dos militares em mostrar que estão tomando o controle das instituições do país.

Cerca de 70 parlamentares da Liga Nacional pela Democracia (NLD), partido liderado por Aung San Suu Kyi, realizaram uma reunião na capital Naypyitaw para demonstrar resistência ao golpe.

Um grupo civil afirma que manifestantes entraram em confronto com forças militares na maior cidade do país, Mandalay, na quinta-feira, deixando mortos e feridos.

Enquanto isso, a TV estatal de Mianmar reportou na quinta-feira à noite que o comandante-chefe das Forças Armadas, general Min Aung Hlaing, se encontrou com autoridades de bancos e outras instituições para buscar cooperação, com o objetivo de estabilizar a economia doméstica e a vida da população. Os militares também anunciaram a nomeação de novos juízes para a Suprema Corte.

Khin Zaw Win, analista de um instituto de pesquisa local que aconselhava o governo de Mianmar, afirmou à NHK que os militares travaram negociações com o lado de Aung San Suu Kyi dois dias antes do golpe.

O estudioso afirma que a líder de fato do país se recusou a realizar um inquérito sobre as supostas fraudes alegadas pelos militares nas eleições gerais do ano passado. Após a recusa, segundo o analista, os militares informaram Aung San Suu Kyi diretamente que realizariam um golpe. E acrescentou que, poucas horas após a notificação, Aung San Suu Kyi e o presidente Win Myint foram detidos.

Na quarta-feira, a NLD divulgou documentos da polícia que acusam Aung San Suu Kyi de ter importado ilegalmente equipamentos de comunicação e de tê-los usado sem permissão. Win Myint é acusado de ter violado as restrições do coronavírus por ter cumprimentado ativistas eleitorais em setembro do ano passado.

Khin Zaw Win afirma que as acusações contra os dois líderes são evidentemente infundadas e que os militares têm a clara esperança de exclui-los das próximas eleições gerais.