Presidente do comitê organizador de Tóquio afirma que presença de mulheres alonga duração de reuniões

O presidente do comitê organizador de Tóquio para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos afirmou que reuniões que contam com a presença de muitas mulheres se alongam por muito tempo.

A declaração de Mori Yoshiro foi feita durante uma reunião extraordinária de conselheiros do Comitê Olímpico Japonês, na quarta-feira. Mais de 50 participantes, alguns deles online, foram informados sobre uma revisão nas regras para a escolha de novos executivos em junho, e sobre o objetivo de que o corpo diretivo seja ocupado em pelo menos 40% por mulheres.

Mori falava quando a reunião estava prestes a se encerrar. Ele mencionou o aumento no número de mulheres no corpo executivo da União Japonesa de Rúgbi, onde atuou como presidente por muitos anos. Mori disse que as reuniões levam o dobro do tempo do que costumavam durar porque as mulheres têm um forte sentimento de rivalidade. Afirmou que quando uma integrante levanta a mão para falar, as demais provavelmente sentem que também devem participar, e assim, todas acabam falando alguma coisa.

Mizoguchi Noriko, medalhista de prata dos Jogos de Barcelona de 1992, agora atua como conselheira da Federação Japonesa de Judô. Ela postou uma mensagem online afirmando acreditar que as habilidades da liderança diretiva, e não a participação das mulheres, são as responsáveis pelo prolongamento das reuniões.

Ela pediu que Mori, na função de presidente do comitê organizador, trabalhe para erradicar o preconceito de gênero, torne realidade o espírito olímpico e sirva de exemplo para a governança do esporte.