Mais de 5 mil são detidos no 2º fim de semana seguido de protestos na Rússia

Um grupo de direitos humanos afirmou que forças de segurança na Rússia detiveram um número superior a cinco mil pessoas em mais de oitenta cidades no segundo fim de semana seguido de grandes protestos visando a libertação do líder oposicionista Alexei Navalny.

Acredita-se que a quantidade de detidos no domingo tenha excedido o número correspondente nas primeiras manifestações que ocorreram no dia 23 de janeiro.

Algumas pessoas que não participaram dos protestos também teriam sido detidas em Moscou. Um homem na faxa etária dos 20 anos declarou à NHK que seu amigo havia sido levado sob custódia após sair de um vagão do metrô.

Navalny é um crítico do presidente Vladimir Putin. Ele foi preso por suspeita de ter violado sua liberdade condicional em meados de janeiro após retornar de uma viagem à Alemanha, onde tinha sido tratado por um suposto ataque de envenenamento por um agente neurotóxico na Rússia em agosto do ano passado.

Um tribunal de Moscou deve decidir, na terça-feira, se converte sua sentença suspensa de uma condenação passada para uma pena de prisão.

O campo oposicionista, por sua vez, está convocando um novo protesto em frente ao tribunal no mesmo dia.