Suga exorta população a reduzir contato social para ajudar a conter coronavírus

O primeiro-ministro do Japão, Suga Yoshihide, exortou a população a reduzir o máximo possível o contato social visando ajudar a conter a disseminação do coronavírus.

Ele fez o pedido durante uma coletiva de imprensa, na quarta-feira, após expandir o estado emergência em sete outras províncias, antes, no mesmo dia.

Suga declarou que medidas anti-infecção sob a declaração de emergência expandida são as mesmas que haviam sido inicialmente anunciadas na quinta-feira da semana passada.

Segundo o premiê, as medidas requisitam que bares e restaurantes fechem às 20h; empresas cortem o número de empregados que se locomovem de casa para o trabalho em 70% por meio de home office; pessoas se abstenham de realizar saídas não essenciais sobretudo após as 20h; o número de espectadores seja limitado em eventos esportivos, shows e outros espetáculos ao vivo.

Encabeçando a lista, Suga Yoshihide exortou a população a se abster de realizar saídas desnecessárias durante o dia.

Ele também exortou clientes em bares e restaurantes que evitem comportamento de alto risco, como, por exemplo, conversar em voz alta e ignorar o distanciamento social, mesmo que frequentem tais estabelecimentos antes das 20h.

Suga afirmou que o número de pessoas na faixa etária dos 30 anos ou menos confirmadas como tendo sido infectadas vem crescendo ultimamente. Ele disse que muitas dessas pessoas são assintomáticas ou desenvolvem poucos sintomas, mas alastram o vírus inconscientemente ao saírem de casa ou frequentarem bares e restaurantes.