OMS diz que imunidade de rebanho não será conseguida em 2021

A Organização Mundial da Saúde, ou OMS, disse que a imunidade de rebanho contra o coronavírus não será conquistada neste ano, apesar da crescente disponibilidade de vacinas.

A agência de saúde das Nações Unidas disse que, até a sexta-feira passada, dia 8 de janeiro, 42 países ao redor do mundo, principalmente aqueles industrializados, já começaram ou estão se preparando para vacinar seu povo.

Soumya Swaminathan, cientista-chefe da OMS, disse, em uma coletiva para a imprensa dada na segunda-feira, que ainda levará tempo para ampliar a produção de doses de modo a inocular as pessoas do mundo todo. Ela disse que “não teremos êxito em fazer com que a imunidade em todos os níveis da população ou a imunidade de rebanho seja concretizada em 2021”.

Swaminathan disse que, mesmo que a imunidade de rebanho aconteça em alguns focos de uns poucos países, isso não protegerá as pessoas ao redor do mundo. Ela enfatizou a importância de continuar a implementar as medidas sociais e de saúde pública.

Seus comentários vieram após a OMS ter declarado, na quinta-feira, que não sabe exatamente quando o mundo obterá a imunidade de rebanho, que requer que mais de 70% de sua população seja vacinada.

Enquanto isso, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, recebeu de bom grado o anúncio do governo chinês de que a equipe de investigação da OMS entrará na China na quinta-feira, após atrasos na programação. Ele expressou esperanças de que os cientistas da organização trabalhem eficazmente com suas contrapartes chinesas durante a investigação das origens do coronavírus.