NHK Responde: Como o estado de emergência vai afetar escolas e exames vestibulares?

A NHK responde a perguntas dos ouvintes sobre o novo coronavírus. O governo japonês considera declarar estado de emergência em Tóquio e três províncias vizinhas justamente no momento em que os estudantes retornam às salas de aula depois das férias de inverno e tem início a temporada de exames vestibulares. Desta vez, a pergunta é: como o estado de emergência vai afetar escolas e exames?

O ministro da Educação do Japão, Hagiuda Koichi, participou de uma coletiva de imprensa, na terça-feira, para explicar as medidas que serão tomadas. Ele disse que a pasta não considera pedir o fechamento geral de escolas dos cursos primário, ginasial e colegial.

Segundo Hagiuda, a taxa de infecção e de casos graves entre estudantes tem permanecido baixa até o momento e não há situações de infecções se espalhando de escolas para a comunidade. O ministro declarou que o fechamento de escolas deve ser evitado sob o ponto de vista do impacto provocado no ensino das crianças e na saúde física e mental delas.

No caso das universidades, Hagiuda Koichi pediu que elas ofereçam uma mescla de aulas online e presenciais. Contudo, ele exortou a aceleração de medidas visando evitar infecções durante atividades esportivas e culturais extracurriculares. Hagiuda pediu que escolas, especialmente as do curso colegial, considerem limitar temporariamente tais atividades com alto risco de transmissão.

O ministro afirmou que exames vestibulares unificados de universidades terão início no dia 16 de janeiro, conforme programado, com a adoção de medidas abrangentes para evitar infecções. Mais de 530 mil pessoas em todo o Japão devem prestar os exames. Ele também pediu aos conselhos regionais de ensino que os exames vestibulares para escolas primárias e ginasiais sejam realizados como previsto.

Estas informações são referentes ao dia 6 de janeiro e estão disponíveis no site da NHK WORLD-JAPAN na internet e nas redes sociais da NHK.