China anuncia revogação de licença de advogados que tentaram ajudar ativistas de Hong Kong

Autoridades chinesas notificaram dois advogados de direitos humanos que suas licenças para exercer a função devem ser revogadas. O anúncio foi feito após os advogados terem se envolvido com os ativistas de Hong Kong que tentaram escapar do território em direção a Taiwan no ano passado.

Os advogados, Ren Quanniu e Lu Siwei, tentaram ajudar os ativistas e estudantes pró-democracia, sendo seus representantes em um julgamento ou se encontrando com eles durante seu período sob detenção, a pedido das famílias. Os ativistas foram presos no ano passado enquanto tentavam fugir para Taiwan de barco, tendo sido sentenciados à prisão na semana passada.

O pedido dos advogados para representar os ativistas neste último julgamento foi negado. As autoridades chinesas citaram, no entanto, que a forma com que eles lidaram com julgamentos no passado e posts feitos online eram motivo suficiente para revogar suas licenças. Segundo as autoridades, os advogados feriram seriamente a imagem da sua profissão.

Durante entrevista por telefone com a NHK, Ren disse que sentia uma pressão crescente por parte das autoridades chinesas depois que ele aceitou o pedido das famílias dos ativistas em outubro. Ele também disse que é obvio que seu envolvimento no mais recente caso contribuiu para a decisão de revogar a sua licença. Disse ainda que isso é uma perseguição injusta a um advogado, mesmo sem disposições legais relevantes que suportem a medida.