Grupo dá entrada em pedido de revisão sobre investigação a Abe Shinzo

Um grupo de cidadãos deu entrada em um pedido de revisão por um painel investigativo da decisão tomada por promotores de não acusar o ex-premiê Abe Shinzo por alegações de violação da lei de controle sobre verbas políticas.

Durante uma coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira, o grupo informou que a decisão dos promotores continha sérios erros factuais, além de ser injusta.

Em dezembro, a promotoria de Tóquio aplicou uma acusação sumária para um secretário de Abe. Ele foi acusado de não ter reportado cerca de 290.000 dólares em receita e gastos para festas organizadas para os apoiadores do ex-premiê. A ausência de referência aos montantes em verbas ocorreu entre 2016 e 2019.

O secretário do ex-premiê foi sentenciado a pagar uma multa no valor de 9.700 dólares.

Os promotores não acusaram Abe, citando uma falta de evidência comprovando que ele estava ciente da ausência das informações nos relatórios ou que ele havia conspirado com o secretário para tal.