Acordo comercial entre UE e Reino Unido isenta ecocarros em período de transição

A União Europeia e o Reino Unido definiram um período de transição de seis anos antes da imposição de tarifas alfandegárias plenas sobre veículos híbridos e elétricos fabricados com componentes de fora das duas áreas.

Pelo acordo de livre-comércio assinado quinta-feira por ambas as partes, praticamente não haverá a cobrança de tarifas sobre mercadorias que circulem entre o Reino Unido e a União Europeia a partir de 1º de janeiro.

Contudo, uma proporção de produção local será exigida na qualificação para a isenção plena. No caso de carros, tarifas são impostas quando passa de 45% a proporção dos componentes em veículos acabados que tenham sido fabricados fora de cada região.

O Reino Unido e a União Europeia definiram um regime escalonado de seis anos para veículos híbridos e elétricos.

Até 2023, carros com até 60% de componentes de fora de cada área serão isentos de tarifas.

A proporção de fabricação local será de 55% entre 2024 e 2026 e de até 45% a partir de 2027.

Algumas fabricantes japonesas, como a Toyota e a Nissan, fazem a montagem de carros híbridos e elétricos com o uso de componentes essenciais importados do Japão.

Os modelos de carros considerados amigáveis ao meio ambiente compõem a principal parte da sua produção local.

As empresas terão de aumentar a proporção de componentes produzidos localmente para evitar tarifas futuras.