Japão conclui plano de prioridades para a vacinação contra o coronavírus

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão elaborou uma lista de condições pré-existentes para a definição de prioridades na vacinação contra o coronavírus.

A pasta planeja dar início à execução do plano com a vacinação de profissionais médicos aproximadamente no final de fevereiro, seguidos de idosos no final de março e então de pessoas com enfermidades consideradas fatores de risco.

Uma comissão de especialistas aprovou nesta sexta-feira o plano de vacinação preparado por funcionários do ministério.

O plano dará prioridade a pessoas hospitalizadas ou que consultem médicos regularmente em razão de determinadas condições pré-existentes, como câncer, doenças cardíacas ou respiratórias crônicas, enfermidades renais e diabete. Entre os fatores de risco também estão doenças neurológicas resultantes de redução da imunidade, anormalidade cromossômica, distúrbios psicossomáticos e apneia do sono. Também terão prioridade indivíduos com índice de massa corporal acima de 30.

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão não dará prioridade a gestantes desta vez por falta de dados que confirmem a segurança e a eficácia das vacinas para elas.

Autoridades calculam que aproximadamente 8,2 milhões de pessoas com fatores de risco serão cobertas pelo plano.

A pasta pretende notificar em breve governos municipais de todo o país em preparação para a vacinação.