Segundo governo japonês, cerca de 80.000 pessoas perderam emprego por conta da pandemia

O Ministério da Saúde, Trabalho e Bem-Estar Social do Japão disse que cerca de 80.000 pessoas no país perderam ou estão para perder seus empregos por conta da pandemia do coronavírus.

O ministério tem pesquisado os casos dos trabalhadores que foram demitidos ou que não tiveram seus contratos renovados uma vez que seus empregadores enfrentam dificuldades devido à deterioração no desempenho de seus negócios.

Os funcionários do órgão constataram que 78.153 pessoas perderam ou estavam para perder seus empregos no período desde o fim de janeiro ao dia 21 de dezembro.

Eles acreditam que o total real deve ser ainda maior, uma vez que esse número inclui somente os casos registrados em repartições de trabalho regionais e agências de colocação em empregos do governo.

Segundo dados atualizados na sexta-feira passada, dia 18 de dezembro, o setor de manufatura foi o mais duramente atingido, com perda de 15.672 empregos. Em seguida, vem o de bares e restaurantes, com 10.935 trabalhadores demitidos.

No setor de venda a varejo, 10.384 pessoas foram cortadas, enquanto 9.605 trabalhadores do setor hoteleiro e 5.084 de agências de emprego temporário também perderam seus trabalhos.

O número de empregados não efetivos, como aqueles que trabalham em tempo parcial, que perderam o emprego devido à pandemia, no período entre o dia 25 de maio e 18 de dezembro, é de 37.460.