Tepco adia remoção de detritos radioativos da usina nuclear Fukushima 1

A NHK teve acesso à informação de que a operadora da danificada usina nuclear Fukushima 1 planeja adiar a remoção de detritos radioativos de dentro de um dos reatores da usina. A razão para a postergação é que a pandemia do coronavírus teria atrapalhado a realização dos testes preparatórios.

A Companhia de Energia Elétrica de Tóquio, conhecida como Tepco, havia planejado a realização de experimentos em agosto no Reino Unido com um braço robótico para a remoção dos detritos, mas o plano foi suspenso em decorrência da pandemia. O transporte do braço robótico até o Japão seria difícil nas atuais circunstâncias.

Fontes ligadas ao caso afirmam que a Tepco determinou que seria impossível dar início à remoção em 2021 como havia planejado.

A companhia agora está trabalhando em um novo projeto para realizar os testes necessários no Japão.

O terremoto seguido por tsunami em 2011 levou ao derretimento de três dos reatores da usina.

A remoção dos dejetos de combustível dos reatores número 1, 2 e 3 é considerada um dos maiores desafios para o processo de desmantelamento da usina, já que os níveis de radiação dentro dos reatores ainda são extremamente altos.

A Tepco e o governo japonês haviam planejado iniciar a limpeza pelo reator número 2 em 2021, já que levantamentos conduzidos no interior deste reator utilizando diversos métodos – incluindo robôs – haviam gerado as imagens e informações mais detalhadas.