Protesto em Okinawa contra bases americanas completa 50 anos

Este domingo marca os 50 anos de protestos em Okinawa, no sul do Japão, após um membro das forças militares dos Estados Unidos ter atropelado um morador local próximo a uma base americana na província.

A manifestação ocorreu em 20 de dezembro de 1970, dois anos antes de Washington devolver o território ao governo japonês.

O incidente ocorreu em uma região conhecida como Koza, hoje pertencente ao município de Okinawa. Moradores expressaram sua frustração atirando pedras e ateando fogo em cerca de 80 veículos militares americanos. O protesto foi visto como um símbolo do descontentamento da população da província.

Durante os anos do pós-guerra, em que Okinawa ficou sob controle dos Estados Unidos, a província não tinha autoridade legal para indiciar membros das forças armadas americanas suspeitos de crimes.

No sábado, a cidade de Okinawa sediou um simpósio sobre as manifestações. Um dos organizadores, o fotógrafo Higa Toyomitsu, registrou imagens dos protestos na época.

Segundo Higa, o incidente em Koza foi a primeira manifestação da luta do povo okinawano contra a situação absurda de abrigar bases militares estrangeiras. Acrescentou esperar que as futuras gerações conheçam e transmitam essa história.

Cerca de 70% das instalações militares americanas em território nipônico estão localizadas na província de Okinawa.

O atropelamento de 50 anos atrás é só um de uma série de crimes e acidentes causados por militares dos Estados Unidos na região. Autoridades japonesas ainda enfrentam restrições para investigar os acusados devido a um tratado conhecido como Acordo Nipo-Americano sobre o Status das Forças Armadas.