Força Marítima de Autodefesa do Japão divulga causa de colisão de helicópteros

Segundo a Força Marítima de Autodefesa do Japão a causa da colisão entre dois helicópteros em abril foi gestão insuficiente de altitude e monitoramento inadequado.

Na ocasião, dois helicópteros da Força Marítima de Autodefesa colidiram e caíram nas águas ao largo da Ilha Torishima, no Arquipélago de Izu, durante um exercício noturno de detecção de submarinos. Todos os oito membros morreram.

De acordo com o relatório de investigação de acidentes da Força Marítima de Autodefesa divulgado na terça-feira, os dois helicópteros estavam voando em locais diferentes sob ordens de comandantes diferentes. Ambos se dirigiram para o mesmo local com base na suposição de que um submarino teria sido detectado.

Segundo o relatório, a frente de um dos helicópteros, que voava em linha reta, teria colidido com o lado esquerdo do outro, que estava voando em círculos. A conclusão é que as tripulações não estariam monitorando adequadamente.

O relatório afirma ainda que, quando os dois helicópteros se locomoviam para seu alvo, o compartilhamento de informações entre seus comandantes teria sido insuficiente. Segundo o documento, não teriam sido emitidas ordens para que os helicópteros voassem em diferentes altitudes para evitar uma colisão.

Para prevenir recorrências, o relatório afirma que autoridades vão se certificar de que a tripulação mantenha cuidadosa monitoração e, caso haja várias aeronaves na mesma área, seus comandantes gerenciem rigorosamente as altitudes.