Matéria-prima para novas cédulas de dinheiro do Japão ajuda a economia do Nepal

A produção das novas cédulas de iene que o Japão passou a emitir em 3 de julho utiliza matéria-prima do Nepal, a cerca de 5.000 quilômetros de distância.

Mitsumata, uma planta de origem asiática utilizada para produzir papel, costumava ser de fornecimento nacional, mas a produção diminuiu devido ao envelhecimento da população, dificultando a aquisição da matéria-prima.

Trabalhadores locais em um depósito nos arredores de Katmandu, capital do Nepal, removem cuidadosamente o mofo e a sujeira de cada folha e finalizam o processo antes que o material seja exportado para o Japão.

O Japão usa mitsumata em suas notas desde o final do século XIX por causa de sua fibra robusta, porém flexível, e do brilho sem igual que ganha ao ser transformada em papel.

A planta cresce naturalmente no Nepal. Uma empresa japonesa envolvida em publicações governamentais, expandiu a produção e se engajou em esforços para exportar o material.

O cultivo de mitsumata inicialmente ajudou pessoas que viviam em áreas montanhosas a ganhar uma renda e reduzir a pobreza.

As importações de mitsumata do Nepal estavam em cerca de 30 toneladas há dez anos mas, agora, o número subiu para 100 toneladas. Mais de 1.000 pessoas em várias áreas do Nepal estão envolvidas na produção.

A população local, que nunca tinha visto as novas notas do Japão, ficou muito interessada quando viu o noticiário da NHK transmitido em um computador.

Uma pessoa responsável pelo processo final disse que trabalhou muito para criar um produto de boa qualidade e ficou surpreso e feliz ao ver a cédula de verdade. Ele disse que quer tocar e até mesmo adquirir uma das notas japonesas.