Presidente eleito do Irã discursa após vitória no segundo turno em meio à pressão do aiatolá

O presidente eleito do Irã, Masoud Pezeshkian, proferiu seu primeiro discurso após vencer o segundo turno da eleição presidencial de sexta-feira.

Pezeshkian, único candidato reformista, conquistou mais de 53% dos votos para derrotar o conservador linha-dura Saeed Jalili, que obteve cerca de 44%. Pezeshkian vai substituir o presidente linha-dura Ebrahim Raisi, que faleceu em um acidente de helicóptero em maio.

Durante a campanha, Pezeshkian pediu mais diálogo com os países ocidentais, enquanto Jalili prometeu não hesitar em confrontar o Ocidente.

O comparecimento dos eleitores no segundo turno foi de 49,8%, um aumento de cerca de 10% em relação ao primeiro turno de votação em junho.

Acredita-se que Pezeshkian tenha contado com o apoio de pessoas descontentes com a situação atual.

Durante um discurso de vitória no sábado, Pezeshkian declarou que o Irã passa por um teste para aliviar os receios das pessoas que lutam por uma vida melhor.

Pezeshkian, ex-vice-presidente do parlamento e ex-ministro da saúde, manifestou determinação para tentar melhorar as relações com o Ocidente, em uma tentativa de suspender as sanções econômicas e resgatar o acordo de 2015 sobre o desenvolvimento nuclear do Irã.

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, emitiu uma declaração afirmando que o presidente eleito é aconselhado a continuar a trajetória de seu antecessor e vislumbrar um futuro brilhante para o desenvolvimento do país.

O foco das atenções está em saber se o presidente eleito conseguirá introduzir alguma grande mudança na política externa em meio a um parlamento controlado por conservadores.