China espera que ataque a faca em ônibus escolar não prejudique relações comerciais com Japão

O vice-primeiro-ministro da China, He Lifeng, enfatizou, em uma reunião com um ex-presidente da Câmara Baixa do Japão, que as relações comerciais bilaterais não devem ser afetadas pelo recente ataque realizado por um homem a cidadãos japoneses em uma cidade chinesa. O premiê solicitou que mais investimentos fossem feitos por empresas japonesas.

He Lifeng recebeu uma delegação japonesa composta por 87 membros liderada pelo ex-presidente da Câmara Baixa, Kono Yohei, em Pequim, na segunda-feira. Os representantes eram da Associação Japonesa para Promoção do Comércio Internacional.

De acordo com autoridades da associação, Kono expressou condolências por uma mulher chinesa que faleceu, após tentar proteger uma mãe japonesa e seu filho do agressor que portava uma faca na cidade de Suzhou, província de Jiangsu, no dia 24 de junho. A chinesa trabalhava como atendente em um ônibus utilizado por uma escola japonesa.

Kono pediu ao lado chinês que investigasse se os cidadãos japoneses eram alvos do ataque.

O vice-primeiro-ministro disse que as autoridades chinesas lhe disseram que o ataque foi um “acontecimento imprevisto”. Ele ressaltou a necessidade de evitar que as relações comerciais bilaterais sejam afetadas pelo incidente.