NHK Responde: Precauções ao subir o Monte Fuji (3) — Novo sistema de reservas da Trilha Yoshida

A NHK responde a perguntas relacionadas à garantia da segurança no dia a dia. O Monte Fuji, o pico mais alto do Japão, atrai muitas pessoas para subi-lo, incluindo estrangeiros, todos os anos. Mas a superlotação e a falta de cuidado por parte dos visitantes estão causando vários problemas. Por isso, as autoridades introduziram novos regulamentos e medidas. Nesta edição, nos concentramos no novo sistema de reservas que foi introduzido na Trilha Yoshida, na Província de Yamanashi.

A província de Yamanashi introduziu um novo sistema de reserva para a Trilha Yoshida para evitar confusões causadas pela restrição do número de visitantes.

Uma reserva de escalada pode ser feita on-line no site oficial "Mt. Fuji Climbing". Você precisa escolher entre passar a noite em um dos chalés na trilha ou fazer o percurso de ida e volta em um dia, e então selecionar a data da escalada. Em seguida, você precisa fornecer o número de pessoas em seu grupo, seu nome e número de telefone. Para concluir a reserva, deve-se pagar uma taxa de entrada de 2.000 ienes, ou cerca de 12 dólares, por pessoa. Você também pode optar por pagar 3.000 ienes por pessoa, incluindo uma doação voluntária de 1.000 ienes.

Depois de concluir o processo, você terá acesso a um código QR que permitirá que você receba pulseiras perto do portão. O sistema de reservas está disponível em japonês, inglês e chinês. Você pode solicitar uma reserva até um dia antes da data que gostaria de subir o Monte Fuji. É importante lembrar que a reserva do chalé para passar a noite deve ser feita separadamente.

A reserva da trilha não é obrigatória, mas ajudará você a garantir sua subida no dia da escolha e a agilizar os procedimentos. A província de Yamanashi está limitando o número de visitantes a 4.000 por dia.

As informações são de 1º de julho de 2024.