Escolas japonesas na China reforçam segurança após ataque a ônibus escolar em Suzhou

Escolas japonesas na China estão reforçando a segurança após um ataque a um ônibus que transportava crianças de nacionalidade japonesa em Suzhou, cidade da província de Jiangsu, no leste da China.

Segundo o Consulado-Geral do Japão em Xangai, um homem aparentemente armado com uma faca atacou quando o ônibus escolar chegou a uma parada na segunda-feira. O veículo transportava alunos de uma escola japonesa para casa.

Funcionários do consulado afirmaram que uma mãe e seu filho, ambos japoneses, ficaram feridos no ataque. Disseram que uma atendente de ônibus chinesa foi esfaqueada e está em estado crítico.

Acredita-se que o agressor seja chinês. Ele teria sido detido e sendo interrogado, mas sua motivação não está clara.

A escola em Suzhou não abriu esta terça-feira.

De acordo com a Embaixada do Japão em Pequim, escolas japonesas na capital chinesa, em Xangai e em outras partes da China estão funcionando normalmente, mas foi pedido às autoridades locais que reforçassem a segurança. Os pais também estão sendo instados a vigiar seus filhos no caminho de ida e volta da escola.

Em Tóquio, o secretário-chefe do Gabinete japonês, Hayashi Yoshimasa, lamentou o incidente e afirmou esperar pela pronta recuperação das vítimas. Ele declarou que o Consulado-Geral em Xangai pediu às autoridades locais que compartilhassem informações e tomassem medidas para evitar incidentes semelhantes. Hayashi disse que funcionários consulares de Xangai foram enviados a Suzhou para prestar apoio aos envolvidos.

O secretário-chefe afirmou que os consulados do Japão em toda a China emitiram alertas por e-mail, instando os cidadãos do país a permanecerem alertas ao sair.