Unicef enfatiza necessidade de proteger crianças em zonas de conflito

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pediu à comunidade internacional que faça todo o possível para proteger as crianças em zonas de conflito, e apoiar aquelas que estão sofrendo psicologicamente em meio à violência.

Segundo um relatório da ONU, 11.649 crianças foram mortas ou feridas gravemente no ano passado como resultado de conflitos em todo o mundo, incluindo combates na Ucrânia e na Faixa de Gaza. Houve um aumento de 35% em relação ao ano anterior.

A vice-diretora executiva de parcerias do Unicef, Kitty van der Heijden, conversou com a NHK em Tóquio na quinta-feira.

Ela afirmou que as crianças não iniciam guerra nem têm a capacidade de pará-la, mas são afetadas pela guerra mais do que qualquer outra pessoa.

Declarou que é responsabilidade coletiva da comunidade internacional “garantir que as crianças sobrevivam e prosperem”.

Ela disse que, mesmo que a violência em Gaza termine hoje, todas as crianças na região estão traumatizadas pela perda de seus pais, irmãos, parentes ou colegas de classe. Acrescentou que as crianças no enclave também vêm sendo deslocadas repetidamente.