Filho de Aung San Suu Kyi, líder política detida em Mianmar, clama por ajuda internacional

A líder a favor da democracia em Mianmar, Aung San Suu Kyi, completou 79 anos nessa quarta-feira (19). A ganhadora do Prêmio Nobel da Paz tem sido mantida presa pelas forças armadas de Mianmar desde que as tropas tomaram o poder em um golpe realizado em 2021.

Seu filho, Kim Aris, atualmente mora no Reino Unido. Em entrevista à NHK, ele disse que não tem certeza do paradeiro da mãe. Disse que ele e os apoiadores da mãe são notificados esporadicamente da sua transferência da cadeia para alguma forma de prisão domiciliar, mas depois ficam sabendo que a notícia está incorreta. Por isso, eles acreditam que no momento ela ainda está encarcerada em Naypyidaw.

Aung San Suu Kyi foi condenada a anos de prisão após ser considerada culpada por corrupção e outros crimes, denunciados em julgamentos não oficiais conduzidos pelos militares.

Aris ainda acrescentou que enviou vitaminas, remédios e alimentos, como chocolates, para sua mãe, depois de ouvir que ela estava com problemas de saúde. O filho da líder política disse que, após o envio, recebeu “uma carta em papel realmente escrita com a caligrafia da mãe” em janeiro. Ele declarou que a carta foi a primeira notícia que soube da mãe nos últimos três anos e meio.

Aris disse que sua mãe “junto a várias outras pessoas não foi presa por razão alguma além de defender os direitos humanos”. Ele pediu à comunidade internacional que não fique parada. Disse que pessoas em outros países, incluindo o Japão, deveriam pressionar seus governos a tomarem medidas de impacto e continuarem apoiando a democracia em Mianmar.