Nova rede de observação de megaterremoto no Pacífico entrará em operação experimental

Uma nova rede de sistema submarino de observação sísmica e de tsunami na costa do Pacífico de oeste a sudoeste do Japão entrará em operação experimental parcial no próximo mês.

O sistema faz parte dos esforços de preparação para um megaterremoto que pode atingir a Fossa de Nankai, que vai da região central até o sudoeste do Japão.

O Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão afirma que uma rede submarina de observação de terremotos e tsunami já está em operação na parte leste de áreas que se estima que podem ser atingidas por um possível megaterremoto. Mas a observação sistemática na parte oeste ainda não está disponível.

O Instituto Nacional de Pesquisa para Ciências da Terra e Resiliência a Desastres está trabalhando para instalar essa rede, chamada “N-net”, no leito marinho do Pacífico ao largo da província de Kochi, no oeste do Japão, até a província de Miyazaki, no sudoeste do país.

A N-net consiste em sistemas costeiros e offshore. Cabos submarinos conectam um total de 36 pontos de observação nos sistemas, que são equipados com sismômetros e medidores de pressão de água. O comprimento combinado da rede é de 1.640 quilômetros.

O instituto afirma que iniciará a operação experimental do sistema no próximo mês, já que metade dos pontos de observação foi instalada.

Os dados obtidos pelo sistema serão fornecidos à Agência de Meteorologia, ajudando-a a emitir alertas de terremotos e tsunami. A expectativa é de que a rede também detecte terremotos nas áreas arredores até 20 segundos mais rápido que o normal e identifique tsunamis no máximo 20 minutos mais rápido.