Japão vai intensificar cooperação com a Ucrânia para ajudar a reconstruir o país

O governo do Japão faz diligências para a assinatura de um novo documento com a Ucrânia que inclui medidas econômicas de suporte à reconstrução do país.

Segundo fontes do governo, estão em andamento preparativos para que o primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, e o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, negociem pessoalmente e assinem o documento à margem da reunião de cúpula do Grupo dos Sete deste ano. O encontro do G7 realiza-se na Itália a partir do dia 13. Zelenskyy foi convidado a participar de uma sessão que dará ênfase à situação na Ucrânia.

Na quinta-feira, Kishida destacou a importância de pôr fim à invasão russa da Ucrânia e alcançar uma paz justa e duradoura o mais breve possível. Acrescentou que o Japão está disposto a liderar esforços neste sentido.

A Ucrânia concluiu acordos de cooperação em segurança nacional com alguns países, como o Reino Unido e a França.

Fontes do governo do Japão explicam que, dadas as restrições constitucionais do país, entre outros fatores, a cooperação prevista provavelmente vai se concentrar em assistência econômica para ajudar na reconstrução da Ucrânia com foco no setor de energia.

Kishida e Zelenskyy se encontraram pessoalmente pela última vez em maio de 2023, quando a reunião de cúpula do G7 foi realizada em Hiroshima.

Também se antecipa que, nas negociações, Kishida transmita a intenção do Japão de continuar a aplicar sanções rigorosas à Rússia e reafirme a determinação de levar adiante a cooperação mútua com a Ucrânia.