Japão expressa preocupação à China em relação a grafite encontrado no Santuário Yasukuni

O Japão expressou sua preocupação à China no que diz respeito a um cidadão chinês, suspeito de praticar grafites com spray em um pilar de pedra no Santuário Yasukuni, em Tóquio.

O santuário homenageia os mortos na guerra do Japão e entre os lembrados incluem-se líderes condenados por crimes de guerra após a Segunda Guerra Mundial.

A ministra dos Negócios Estrangeiros do Japão, Kamikawa Yoko, disse, em uma entrevista coletiva dada na terça-feira, que o ministério transmitiu seus sentimentos de preocupação ao governo chinês por meio de canais diplomáticos.

O grafite, feito em tinta vermelha, foi descoberto no sábado, dia 1 de junho. Um vídeo postado em redes sociais da China mostrou um homem pintando o pilar com spray. A polícia de Tóquio suspeita que o cidadão chinês que aparece no vídeo seja responsável pela inscrição e está investigando.

Kamikawa disse que criar e divulgar um vídeo que comprove e incentive tal ato é inaceitável.

Ela disse que pediu ao governo da China a exortar os cidadãos do país a cumprirem as leis e regulamentos e a agirem de forma sensata.