Nagasaki decide não convidar embaixador israelense para a cerimônia anual de paz

O prefeito da cidade de Nagasaki diz que decidiu não convidar o embaixador israelense no Japão para a cerimônia anual que marca o bombardeio atômico dos Estados Unidos na cidade.

O prefeito Suzuki Shiro explicou sua decisão em uma entrevista coletiva na segunda-feira. Ele disse que tomou uma decisão difícil à luz da terrível situação humanitária na Faixa de Gaza, bem como da forma como a crise está sendo vista por pessoas em todo o mundo.

Suzuki disse que não pode descartar o risco de incidentes inesperados na cerimônia de 9 de agosto. Ele disse que o objetivo do evento é velar as vítimas da bomba atômica, então ele não pode tolerar nenhuma interrupção. Ele adicionou ainda que, em vez disso, enviará ao embaixador israelense uma carta pedindo o fim imediato da violência em Gaza.

O prefeito disse que a cidade enviará uma carta-convite ao representante palestino no Japão, como de costume.

As atenções estavam voltadas para Nagasaki uma vez que a cidade de Hiroshima decidiu convidar o embaixador israelense para seu evento memorial da paz deste ano.

A cidade de Nagasaki enviará cartas-convite para um total de 154 países e territórios. Autoridades dizem que a Rússia, que continua com a invasão na Ucrânia, e a Belarus, aliada de Moscou, também foram deixadas de fora da lista de convidados da cidade.