Província de Ishikawa continua lutando para evitar mortes relacionadas a desastre

Autoridades da província de Ishikawa continuam enfrentando o desafio de evitar mortes relacionadas ao desastre e o isolamento social de pessoas em áreas atingidas pelo forte terremoto no dia 1º de janeiro, na região central do Japão.

Sábado marca cinco meses desde a ocorrência do tremor na Península de Noto. As autoridades de Ishikawa afirmam que 260 pessoas foram confirmadas como mortas na província, e outras três estão desaparecidas.

Entre as vítimas, 30 morreram de causas relacionadas ao desastre, como estresse e fadiga, enquanto viviam longe de casa após o terremoto. O número de tais óbitos pode vir a aumentar ainda mais.

Esforços estão sendo feitos para construir moradias temporárias nas comunidades afetadas. Mais de 4.400 unidades foram construídas até agora, ou quase 70% do número estimado considerado necessário pela província.

À medida que mais evacuados se mudam para casas temporárias, as autoridades de Ishikawa estão tendo que lidar com o risco de mortes relacionadas ao desastre e isolamento. As autoridades provinciais planejam aumentar os esforços, enviando profissionais de saúde pública para visitar moradias temporárias, além de oferecer refeições e banhos para idosos. Também, pretendem criar locais para que os evacuados possam se reunir e interagir.

Mais de 3 mil pessoas ainda vivem em centros de evacuação, aguardando para se mudar para moradias onde possam viver com tranquilidade. A província está acelerando a construção de mais unidades temporárias, mas ainda há outros desafios, como a demolição de habitações destruídas e o reparo de casas danificadas o mais cedo possível.