Empresa dos EUA acusa grupos na Rússia e na China de usar IA para manipular opinião

A empresa de tecnologia OpenAI, dos Estados Unidos, diz ter identificado cinco grupos, com sedes em vários países, que estariam usando sua tecnologia para tentar manipular a opinião pública. A empresa estadunidense é responsável pela criação do chatbot de inteligência artificial ChatGPT.

Na quinta-feira, a OpenAI divulgou tendências recentes de operações secretas de influência. Segundo a empresa, cinco grupos, com sedes em Rússia, China, Irã e Israel, teriam usado inteligência artificial generativa em várias funções, como inventar nomes e biografias para contas de redes sociais, criar comentários e traduzir textos.

O conteúdo publicado pelos grupos se concentrou em uma vasta gama de questões, incluindo a invasão da Ucrânia pela Rússia, o conflito entre Israel e o grupo islâmico Hamas na Faixa de Gaza e a política nos Estados Unidos.

A empresa estadunidense afirma que um grupo com sede na China teria criado textos em inglês, japonês e outros idiomas criticando a liberação, pelo Japão, de água tratada e diluída da usina nuclear danificada Fukushima 1 no oceano. Os textos foram divulgados em plataformas online.

O relatório alerta sobre o risco de operações de influência por IA generativa antes da eleição presidencial dos EUA e outros eventos.