Relatório da ONU expressa “grande preocupação” sobre escândalos da agência japonesa ex-Johnny & Associates

Um grupo de trabalho do Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas expressou grande preocupação em relação às alegações de abuso sexual que envolvem o falecido fundador da agência de artistas do Japão, anteriormente conhecida como Johnny & Associates.

O Grupo de Trabalho sobre Empresas e Direitos Humanos divulgou um relatório com base nos resultados de sua primeira pesquisa realizada no Japão nos meses de julho e agosto do ano passado. O documento inclui propostas e recomendações ao governo e às empresas do país.

O texto se refere aos escândalos de abuso sexual envolvendo o falecido fundador da agência, Johnny Kitagawa. Cita que o grupo de trabalho “continua profundamente preocupado com as alegações de exploração e abuso sexuais cometidos a várias centenas de artistas contratados pela Johnny & Associates”.

O documento também observa que “os veículos de comunicações do Japão têm estado envolvidos no encobrimento desses escândalos há décadas”.

Acrescenta que o grupo de trabalho reconhece os esforços da empresa, agora denominada Smile-Up, de começar a pagar indenizações às vítimas que aceitaram as ofertas de compensação financeira. No entanto, também diz que “ainda está muito longe de atender às necessidades das vítimas que solicitaram uma remediação em um tempo hábil”.

De um modo geral, o relatório recomenda que o governo japonês tome medidas concretas para lidar com os desafios de direitos humanos.

O documento deverá ser submetido ao Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas no mês de junho.