Mulher pode ter sido primeira morte solitária em habitação temporária em Wajima

Autoridades da cidade de Wajima, na província de Ishikawa, na região central do Japão, suspeitam que uma mulher na faixa dos 70 anos possa ter morrido solitária em uma casa temporária construída para desalojados de áreas atingidas pelo grande terremoto ocorrido no dia 1º de janeiro.

Autoridades dos governos provincial e municipal dizem que essa pode ser a primeira morte solitária em habitações temporárias em Ishikawa. Mais de 4 mil unidades foram construídas na província após o terremoto.

Autoridades da cidade dizem que, na semana passada, o filho da mulher pediu à polícia que o acompanhasse em visita à mãe, pois ela não teria atendido a suas ligações. Ao chegarem, a mulher foi encontrada morta. A causa da morte não foi esclarecida.

A mulher inicialmente estava abrigada fora da cidade, mas depois se mudou para a habitação temporária. Quatro dias antes de ser encontrada morta, um vizinho a viu colocando o lixo para fora. Essa foi sua última aparição de que se tem notícia.

O município envia profissionais de enfermagem da rede pública de saúde para visitar as moradias temporárias, mas as autoridades dizem que não sabem quando foi feita a última visita à casa da mulher falecida e outros detalhes.

Yamamoto Toshiharu, um funcionário da prefeitura de Wajima, disse em uma entrevista coletiva regular que é lamentável que a morte tenha acontecido em um momento em que a cidade está intensificando os esforços para evitar que pessoas morram sozinhas ou por causas relacionadas a desastres. Acrescentou que a cidade irá acompanhar mais de perto todos os desalojados que agora moram sozinhos e irá aprimorar as atribuições comunitárias para evitar que o incidente se repita.