Negociações bilaterais são realizadas na véspera da cúpula entre Japão, China e Coreia do Sul

O primeiro-ministro do Japão, Kishida Fumio, conversou separadamente, em Seul, com o premiê da China e o presidente da Coreia do Sul.

As negociações de domingo antecederam em um dia a primeira reunião de cúpula trilateral dos vizinhos asiáticos a se realizar em mais de quatro anos.

O primeiro-ministro do Japão reuniu-se primeiramente com o presidente da Coreia do Sul. Kishida Fumio e Yoon Suk-yeol acertaram um reforço adicional nos laços bilaterais em antecipação aos 60 anos das relações diplomáticas entre os dois países, que transcorrem em 2025.

Yoon declarou: “Espero trabalhar com o primeiro-ministro japonês em preparação para o próximo ano, de modo a que 2025 venha a se constituir numa virada histórica na crescente promoção das relações bilaterais.”

Kishida, por sua vez, afirmou: “A comunidade internacional está em um momento de mudança histórica. O Japão pretende solidificar ainda mais os laços com a Coreia do Sul para manter e fortalecer um Indo-Pacífico livre e aberto e lidar eficazmente com questões globais.”

Ambos discutiram a questão da Coreia do Norte, país que vem intensificando o desenvolvimento nuclear e de mísseis.

Depois, Kishida destacaria que ele e Yoon estão determinados a trabalhar em estreita colaboração com os Estados Unidos para resolver o problema.

O premiê do Japão também se reuniu separadamente com o primeiro-ministro da China, Li Qiang.

Kishida declarou: “Estou convencido de que estabilizar as relações entre o Japão e a China será benéfico para os dois países, assim como para a própria região e a comunidade internacional”.

Li afirmou: “Estou na expectativa de que possamos limitar divergências e fazer esforços para estabelecer relações construtivas e estáveis que atendam às demandas da nova era”.

Ambos reafirmaram a determinação de promover o seu “relacionamento mutuamente benéfico com base em interesses estratégicos comuns”. Esta determinação foi definida, em novembro, entre Kishida e o presidente da China, Xi Jinping.

Além disso, no encontro de domingo, o primeiro-ministro japonês instou Pequim a encerrar imediatamente a suspensão da importação de peixes e frutos do mar do Japão.

Kishida disse ter pedido à China que resolva pacificamente questões com Taiwan por meio do diálogo.

A China realizou na quinta-feira e na sexta-feira um grande exercício militar em torno de Taiwan, poucos dias depois da posse de Lai Ching-te no cargo de presidente.